Tudo bem!

by Edgar . 0 Comments

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz, quem sabe?
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei
Ou nada sei.

Almir Sater & Renato Teixeira

Eu precisei me afastar para que, flutuando no intervalo que separa meus elétrons de meu núcleo atômico, eu pudesse ver com mais clareza. Eu me afastei. Eu sei que isso causou dor. Mas você, você me resgatou mesmo assim. Deixou que minha instabilidade quântica destilasse todas as minhas incertezas e, com um sorriso cósmico, disse as palavras de sempre: tudo bem com você?

Tudo bem! Nossa conexão vem de tempo imemoriais. Nossa ligação independe da tecnologia, seria igual por sinais de fumaça, ondas de rádio ou redes WiMAX. É telepática, às vezes. É a nossa conexão. Por isso, está tudo bem!

Você sabe, das coisas que me importam, eu sou a menos importante. Não sei ser sem estar conectado aos que me cercam. Ainda que os afazeres do dia-a-dia me tomem tempo demais, sempre estou pensando naqueles e naquelas que me são queridos. São poucos, mas são todos eu. Estranho, mas é assim. E você, de todos, talvez a única que me entende, ainda que você pense o contrário. Por isso, sempre estarei por perto. E, sim, eu sei, a reciproca é verdadeira.

Não importa a forma, seja numa conversa de whatsapp, seja dividindo um churros pecaminoso, ou, ainda, tirando sarro do garçom mega atencioso do nosso japa preferido. Importa que essa coisa que vem de sabe-se deus quando esteja sempre ai… e estará.

Tudo bem 😀

OV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.